Cadastrar |

EMF e Alquimia #5 - A Criança Interior

Em 2009, uma série de vivências e sincronicidades me trouxe a consciência da Criança Interior em várias de suas facetas, aprofundando seu significado e revelando sua presença em minha alma.

Começo este relato voltando no tempo até aquela que considero minha epifania, minha experiência mais profunda, onde iniciei meu caminho espiritual, que me conduziu ao ponto onde me encontro hoje e continua a me inspirar a ir além.

Meu despertar espiritual veio em 1997 e desde então me tornei um buscador, lendo muitas coisas que se relacionavam com espiritualidade e afinando minha orientação interna. Na época eu estava iniciando minha carreira como engenheiro metalúrgico na CST, uma usina siderúrgica em Vitória no Espírito Santo. Durante aquele período sentia que algo profundo e transformador estava acontecendo dentro de mim, no entanto, não sabia exatamente o que era.

Foi durante aquele momento de despertar que aconteceu uma de minhas experiências mais ricas e reveladoras que até hoje continua como um Farol a me iluminar. É profunda em sua simplicidade e considero-a uma cena em perspectiva de grande parte de meu caminho espiritual, como se fosse um holograma.

O ano era 1998 e estava em Vitória no Espírito Santo. Havia acabado de ler o livro “Emmanuel”, psicografado por Chico Xavier. Durante aquela leitura senti um amor e uma compreensão tão profundas que parecia que o céu havia se aberto diante de mim. Ainda envolto por aquele sentimento de puro amor fui para o quarto e me deitei. Estava em estado hipnagógico, aquele breve momento que precede o sono, onde várias imagens desconexas vem à mente.

Subitamente comecei a sentir todo o meu corpo vibrar. Parecia uma descarga elétrica de alta corrente percorrendo todas as minhas células. Logo em seguida senti como se fosse puxado para cima e me vi junto ao teto do quarto observando meu próprio corpo deitado na cama. Estava totalmente consciente e lúcido. Era uma cena engraçada aquela! Permaneci naquela condição pelo que pareceram alguns segundos.

Em seguida comecei a girar intensamente e senti outro “puxão” para cima. A sensação era a de ter sido tragado por um túnel em espiral. Tudo aquilo foi muito rápido e quando me dei conta já me encontrava em outro plano da realidade, um plano mais sutil. A sensação era incrível! Ainda parecia estar respirando, mas agora era como se minha capacidade respiratória fosse dezenas de vezes maior. Minha visão era em 360°! Eu podia “ver” tudo ao meu redor.  Difícil de explicar.

Aquele lugar ainda parecia um ambiente da Terra e eu podia perceber formas. Na verdade estava em um plano espiritual do que seria a fazenda de minha avó materna. Por estranho que possa parecer estava à vontade naquele ambiente e sabia porque eu estava ali.

Percebi alguns seres vagando pelo ambiente e quando notaram minha presença se reuniram à minha frente como uma pequena platéia pronta para escutar uma palestra. Sabia que estava ali para falar algo para eles. Imediatamente pensei em ler alguma coisa e então um livro plasmou-se à minha frente. Quando tentei pegá-lo, não consegui. Minha mão o trespassou.

Notei então que precisaria falar algo que viesse de mim mesmo e não dos livros. Coloquei-me à frente daquela pequena platéia, que parecia ter uns nove seres, e comecei a falar: “Estou aqui para falar sobre o Amor...” Imediatamente um ser masculino se manifestou e com uma energia ácida e em tom de escárnio disse: “Isto tudo é uma besteira! Não existe este tal de amor!”

Senti minha vibração baixar no mesmo instante. Comecei a sentir muito medo. Naquela dimensão todas as coisas estavam expandidas incluindo os sentimentos. O medo era tão intenso que me senti curvar sobre mim mesmo, como se eu estivesse encolhendo. A pequena platéia imediatamente se desfez e a luminosidade do ambiente diminuiu.

Ao longe, vindo de trás de minha perspectiva, senti uma criança se aproximando. Era quase um bebê. Quando a criança chegou bem próxima a mim o medo aumentou ainda mais e a criança começou a murchar e a se transformar em um esqueleto. Presenciando aquela cena triste senti a compaixão brotando em meu ser e num momento de expansão “abri os braços" para envolver aquele pequeno ser que sofria. Senti uma energia poderosa emanando de mim, a partir do meu centro. Era um amor imenso! Todo o medo deixou de existir e a vida começou a fluir por mim novamente.

Imediatamente a criança se transformou e bem à minha frente surgiu um ser angelical envolto em uma túnica branca. Era um ser alto, com os cabelos pretos e longos. Curiosamente não podia ver sua face. Aquele ser emanava tanto amor, compreensão e serenidade! Voltado para mim ele disse: ”Por que o medo Gustavo, se você sabe que o Amor é a energia mais poderosa do Universo?”

Depois daquele momento ficamos conversando por um bom tempo, no entanto, não me lembro de quase nada do que conversamos. A única parte da qual consigo me lembrar foi quando ele me disse que a energia que eu irradiava tinha mais características yin. Depois do diálogo me percebi em um ambiente junto à natureza e visualizei a imagem de meus pais. O Anjo branco pediu que mudasse meu foco, pois aquelas imagens não eram reais.

Conversamos mais um pouco e logo em seguida um urso negro se aproximou de mim a partir do oeste de minha perspectiva. O Anjo me instruiu para que eu não tivesse medo. O urso ficou bem próximo a mim, como se estivesse me cheirando ou sentindo minha energia. Pouco depois percebi o turbilhão se formando e me senti sendo puxado para baixo, entrando de novo no túnel espiralante. Minha consciência estava de volta ao corpo físico. Aquela experiência parecia ter durado horas, no entanto, havia se passado poucos minutos ou mesmo segundos na dimensão física.

Compreendi que todos os elementos contidos naquela visão são partes do meu próprio ser e representam a dinâmica interna de minha alma. À medida que trilhava o caminho evolutivo é que fui compreendendo as mensagens contidas ali. Nem todas ainda estão claras para mim, principalmente parte do diálogo com o Anjo. Acredito que à medida que for expandindo ainda mais a minha consciência, mais partes desta experiência se revelarão.

Cada detalhe é importante e pode trazer consciência, mas a mensagem principal é a do Amor que vence o medo e se irradia espontaneamente de dentro do Ser, transformando uma criança ferida e um adulto medroso em um Anjo de compreensão, Amor e Serenidade.

Logo após aquela experiência minha vida começou a mudar e a tomar novos rumos. Passei por um longo período de busca e purificação interior e também de muita orientação intuitiva que me conduziram ao meu encontro com as mensagens de Kryon e a EMF Balancing Technique que hoje fazem parte integral de minha vida e de meu propósito, me ajudando a realizar as dinâmicas presentes naquela visão.

Um detalhe importante e que assinalava o intenso período de introspecção e cura que eu viria a viver foi a presença do Urso Negro que chegou do oeste logo após meu diálogo com o Anjo Branco Sem Face.

Só mais tarde em meu caminho, quando entrei em contato com a espiritualidade indígena norte americana através de sincronicidades e leituras, é que vim a compreender o que representava o Urso Negro que vem do oeste. Basicamente ele representa um ciclo de introspecção, intuição e cura. Tem também a ver com o feminino em nós.

Foi exatamente isto o que vivi nos anos seguintes. Esta parte do meu caminho merece todo um capitulo, pois foi quando entrei em contato mais consciente com minhas sombras, medos, resistências e grandes desafios. Foi um período de muitos insights e transformações. Depois escreverei sobre esta etapa e o que ela me ensinou.

Ao mesmo tempo em que vivia este mergulho interior fui me aproximando da energia da Família Kryon, ou vice versa. Ao longo do caminho as sincronicidades e insights foram me mostrando que eu era parte desta Família e que viria a desempenhar, junto com Lucimara e outros amigos, um importante papel na difusão desta mensagem e energia no Brasil.

A presença do Anjo Branco Sem Face em minha visão, antes mesmo de eu conhecer as mensagens de Kryon, era um indicativo disto, pois este ser angelical é um dos principais personagens daquela que considero uma das mensagens mais profundas de Kryon, a parábola chamada “A Jornada para o Lar”.  Encorajo a todos que ainda não o fizeram a lerem e mergulharem nesta jornada, pois ela representa a jornada de todos nós! É belíssima! Foi através desta história que tive a plena consciência de quem era o Anjo Branco Sem Face!

A princípio comecei praticando a EMF Balancing Technique e me tornando o primeiro professor desta amorosa e surpreendente ferramenta do espírito no Brasil e na América do Sul. Paralelamente à prática da EMF eu traduzia as mensagens de Kryon, além das de Tobias e dO Grupo e colocava as em nosso site na internet, o Farol de Luz.

O tempo foi passando e depois de alguns desafios, orientações internas e sincronicidades  eu e Lucimara, minha companheira na época, acabamos nos tornando os anfitriões tanto de Peggy Phoenix Dubro (originadora da EMF)  e seu marido Steve Dubro quanto de Lee Carroll (canal original de Kryon) no Brasil. Sentimos profunda afinidade e admiração por estes seres humanos que expressam de forma simples sua própria divindade e seu trabalho de alma, ajudando muitas outras pessoas a fazerem o mesmo.

Neste relato sobre a Criança Interior acho muito importante falar sobre a Família Kryon, pois ela tem papel fundamental na ativação e integração desta energia em minha alma e, acredito, na alma de muitos de nós.

Em agosto de 2009 fomos anfitriões de outros dois membros da Família Espiritual, Steve e Barbara Rother. Para quem não sabe Steve é o canal para O Grupo que, assim como Kryon, trás mensagens muito amorosas e capacitadoras sobre os seres humanos e a nova energia no planeta.  Ao encontrá-los sentimos a mesma afinidade, “como se” já nos conhecêssemos há muito tempo.

Steve e Barbara vieram apresentar o seminário “Vivento a 5ª Dimensão”, pela primeira vez no Brasil. Só posso dizer que foram momentos mágicos e inesquecíveis. Foram dois dias de workshop com canalizações do Grupo, dinâmicas divertidas e emocionantes, palestras e amor. Havia 86 pessoas neste encontro, além da equipe de apoio.

Além de vários workshops, Steve realiza outro trabalho muito interessante, atendimentos pessoais onde, com o auxílio do Grupo, ele orienta as pessoas com relação aos seus potenciais. Eu tive a oportunidade de participar de algumas destas sessões como tradutor e fiquei encantado com a dinâmica e a maneira como as pessoas saiam de lá com os olhos brilhando e com um sorriso na face, como se algo tivesse se clareado dentro delas.

Gentilmente Steve ofereceu para mim e Lucimara sessões particulares. Muitas coisas importantes foram faladas, mas gostaria de frisar dois pontos que tem a ver com a Criança Interior. Steve disse:

“Há um garoto próximo a você. É um menino e vocês têm uma forte conexão. Acredito que ele será seu filho, mas se você escolher não ter um filho nesta vida, ele te encontrará, pois vocês têm um contrato.“

Depois, falando sobre meus potenciais de alma ele disse:

“Você ajudará a despertar a criança de todos nós. Você é um contador de histórias e vem fazendo isto há muito tempo. Talvez sua forma de canalização seja escrever histórias para crianças.”

Estas palavras do Steve fizeram um grande sentido para mim. Talvez a visão que tive com a criança ferida sendo curada pela força do amor tenha sido um vislumbre do meu trabalho de alma. Que privilégio poder “ajudar no despertar da Criança Interior de todos”.

Aliás, quando eu tinha meus onze anos de idade escrevi um poema, que foi premiado e publicado no livro da escola. Acredito que tenha sido a primeira manifestação deste meu dom:

A Floresta

Ergue-se na natureza, uma grande e majestosa floresta,

Cheia de mistérios, segredos e beleza.

Com suas verdes copas parece uma enorme casa,

Com moradores fascinantes,

Desde pequenos ratinhos até grandes elefantes.

Mas há também os seres mitológicos,

Caiporas, Sacis e Curupiras, que são

Para as crianças de bom coração,

Os verdadeiros habitantes,

Da grande floresta da imaginação.

 

Diz-se que as poesias falam por si mesmas e não devem ser interpretadas, pois isto lhes tiraria sua profundidade e capacidade de nos levar até onde a razão não alcança. Portanto, lhes deixo com a poesia da Floresta, intocada, pura e com seus segredos que só a imaginação pode desvelar.

Continuando a prosa da Criança Interior que, espero, possa também ser uma poesia em sua maneira de revelar sentimentos e compreensões, relato outro fato que ocorreu duas semanas depois deste encontro com o Steve.

Eu já estava em Belo Horizonte quando fui aplicar uma sessão de EMF em uma cliente. Ela é psicóloga e trabalha de maneira holística com seus clientes também. A sessão foi muito agradável e minha cliente descreveu sensações de paz e as presenças amorosas que percebeu.

Após a sessão lhe ofereci uma carona. Ao entrar no carro uma das primeiras coisas que ela disse foi: Você tem filhos? Eu disse que não e ela comentou, “Então é muito provável que você terá, pois há uma criança, um menino te acompanhando. Ele é muito ligado a você e está aí, rindo sem parar. Ele tem uma energia muito amorosa”.

Mais uma vez a informação sobre a presença de uma criança, um menino! Preciso dizer que eu não havia dito nada a ela sobre minha experiência com o Steve. Tanto o Steve quanto esta cliente perceberam este menino como um filho em potencial. Acho esta possibilidade muito legal, mas gosto sempre de ver as metáforas e símbolos que, assim como na poesia, podem nos levar a uma leitura e compreensão mais essencial.

O fato é que há uma criança, um garoto, muito próximo a mim. E o mais importante é que está alegre e tem uma energia muito amorosa! Independentemente destas visões se manifestarem como um filho literalmente, o que entendo é que a criança interior está bem, feliz e próxima!

Quando e se eu for um pai um dia, quero que minha criança interior esteja sadia e sendo cuidada com carinho e respeito, dentro de mim, para que eu possa transmitir o mesmo para aquele ser que vier a entrar neste mundo através de mim e de sua mãe.

Logo após eu deixar minha cliente, fui até o centro de BH procurar um livro. Entrei na loja e infelizmente o livro não estava disponível. No entanto, minha atenção foi despertada por alguns CDs de poesia que estavam lá, especialmente por um de Fernando Pessoa, recitado por Paulo Autran. Acho que o dedo da criança interior era quem estava me apontando aquele presente, pois nele estava um dos mais belos poemas sobre a criança divina que eu já li e ouvi em minha vida. Seu nome é o Guardador de Rebanhos VIII, que compartilho com vocês:

O guardador de rebanhos - VIII

Fernando Pessoa
(Alberto Caeiro)

Num meio dia de fim de primavera
Tive um sonho como uma fotografia
Vi Jesus Cristo descer à terra,
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.

Tinha fugido do céu,
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu era tudo falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras,
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem

E subir para a cruz, e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai e mãe
Como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas -
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque não era do mundo nem era pomba.
E a sua mãe não tinha amado antes de o ter.

Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!

Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três,
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz

E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu pelo primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz no braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras nos burros,
Rouba as frutas dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.

A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as cousas,
Aponta-me todas as cousas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.

Diz-me muito mal de Deus,
Diz que ele é um velho estúpido e doente,
Sempre a escarrar no chão
E a dizer indecências.
A Virgem Maria leva as tardes da eternidade a fazer meia,
E o Espírito Santo coça-se com o bico
E empoleira-se nas cadeiras e suja-as.
Tudo no céu é estúpido como a Igreja Católica.

Diz-me que Deus não percebe nada
Das coisas que criou -
"Se é que as criou, do que duvido" -
"Ele diz, por exemplo, que os seres cantam a sua glória,
mas os seres não cantam nada,
se cantassem seriam cantores.
Os seres existem e mais nada,
E por isso se chamam seres".
E depois, cansado de dizer mal de Deus,
O Menino Jesus adormece nos meus braços
E eu levo-o ao colo para casa.
..........................................................................
Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é o humano que é natural,
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.
E a criança tão humana que é divina
É esta minha quotidiana vida de poeta,
E é porque ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre,
E que o meu mínimo olhar
Me enche de sensação,
E o mais pequeno som, seja do que for,
Parece falar comigo.

A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E a outra a tudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é o de saber por toda a parte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.

A Criança Eterna acompanha-me sempre.
A direção do meu olhar é o seu dedo apontando.
O meu ouvido atento alegremente a todos os sons
São as cócegas que ele me faz, brincando, nas orelhas.
Damo-nos tão bem um com o outro
Na companhia de tudo
Que nunca pensamos um no outro,
Mas vivemos juntos a dois
Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda.

Ao anoitecer brincamos as cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa,
Graves como convém a um deus e a um poeta,
E como se cada pedra
Fosse todo o universo
E fosse por isso um grande perigo para ela
Deixá-la cair no chão.

Depois eu conto-lhe histórias das cousas só dos homens
E ele sorri, porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,
E dos comércios, e dos navios
Que ficam fumo no ar dos altos-mares.
Porque ele sabe que tudo isso falta àquela verdade

Que uma flor tem ao florescer
E que anda com a luz do sol
A variar os montes e os vales,
E a fazer doer aos olhos os muros caiados.
Depois ele adormece e eu deito-o
Levo-o ao colo para dentro de casa
E deito-o, despindo-o lentamente
E como seguindo um ritual muito limpo
E todo materno até ele estar nu.

Ele dorme dentro da minha alma
E às vezes acorda de noite
E brinca com os meus sonhos,
Vira uns de pernas para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate as palmas sozinho
Sorrindo para o meu sono.
.................................................................................
Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu no colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar
Até que nasça qualquer dia
Que tu sabes qual é.
....................................................................................
Esta é a história do meu Menino Jesus,
Por que razão que se perceba
Não há de ser ela mais verdadeira
Que tudo quanto os filósofos pensam
E tudo quanto as religiões ensinam?

 

Emocionei-me ao ouvir este poema enquanto ia para casa... Não pude conter as lágrimas. E por que deveria fazê-lo?

No dia seguinte viajei para Maceió onde fui ministrar palestra, cursos e sessões de EMF. Novamente foi uma experiência muito rica onde pude conhecer várias pessoas bacanas e compartilhar um pouco do meu conhecimento e das ferramentas da nova energia com as quais trabalho. Houve momentos de muita troca e emoções bonitas.

Já no dia de folga fui com minhas novas amigas Ana Lima e Ana Raquel, visitar uma comunidade de pescadores e artesãos. Lá conheci alguns dos moradores e visitei várias lojas de artesanato, inclusive a loja da Vera, uma rendeira muito simpática que adora contar piadas do Luis de Camões. Demos boas gargalhadas. Com certeza sua criança interior está bem viva e saudável!

Ao entrar em uma das lojas, além das rendas e de várias peças do artesanato local vi uma que me chamou a atenção, uma escultura em barro de um anjinho, uma criança divina! Pensei em comprá-lo e ao perguntar o preço fiquei na dúvida. Cheguei a sair da loja e a entrar no carro para irembora, mas falei com minhas amigas, “Preciso voltar àquela loja e comprar uma peça que vi, senão me arrependerei.” Deixando as considerações econômicas de lado e seguindo o coração, comprei a peça, que viria a compor outra trama sincronística da história da Criança Interior.

Sempre que aparecem símbolos importantes em meus sonhos ou vivências intuitivas, gosto de ter uma peça que represente estes símbolos. É como materializar o que vejo em meu mundo interior e povoar minha casa com eles, como se fizessem parte de um altar sagrado.

Enquanto ainda estava em Maceió, Lucimara me enviou um email de divulgação de um workshop de uma amiga nossa, a Rubia Dantés. O workshop chama-se Amor e Perdão, e desta vez ela daria ênfase na cura da Criança Interior!

Sempre quis participar de um workshop dela, mas por um motivo ou outro nunca coincidiu, mas desta vez estava tudo ok. Gosto muito da Rubia, uma pessoa muito sensível e afinada com seu mundo interior. Seus textos são belíssimos e falam de suas próprias vivências e reflexões. Muitas vezes suas vivências internas coincidiram com as minhas e por isso sei que temos uma afinidade de alma. Portanto, aquele seria o momento perfeito para conhecer esta parte do trabalho dela, ainda mais com este tema.

Respondi à Lucimara dizendo que seria muito bom participarmos. Então, no final de semana seguinte (28, 29 e 30 de agosto) fomos até o Sítio Sertãozinho, na região de Moeda, próximo a Belo Horizonte para participarmos.

O Sítio Sertãozinho é um lugar muito especial e compôs a energia da nossa vivência. Ele é cuidado por Magui, uma xamã brasileira com fortes ligações com a espiritualidade do povo Sioux da América do Norte, e Orestes, seu marido e administrador do Sítio que também funciona como uma pousada.

Tudo no Sertãozinho inspira cuidado, desde as belas plantas ornamentais com flores variadas, as ervas medicinais com seus aromas,  as montanhas ao seu redor, o espaço de vivências e a cozinha que serve uma deliciosa comida caseira, feita com ingredientes orgânicos do próprio sítio. É uma verdadeira festa dos sentidos!

A vivência foi muito bonita e profunda, com várias nuanças. Descreverei da forma mais sucinta possível o que experimentamos ali. O workshop da Rubia é focado no perdão e no amor, neste caso, voltado para a criança interior. Ela utiliza como ferramentas sua própria arte, como as mandalas e belas imagens de mulheres sagradas, o bordar e o Ho’oponopono que Rubia pratica e vive em profundidade. Outra peça importante foi a presença da Magui com seus insights afinados, sabedoria e as práticas ritualísticas xamânicas.

Na primeira noite nos reunimos em uma sala de vivências muito aconchegante, onde símbolos importantes da cultura indígena, além da própria arte da Rubia decoram o ambiente, também ornado delicadamente com véus que conferem um ar onírico e lúdico ao local. Primeiro Rubia expôs sobre o trabalho e seu foco, depois pediu que cada um se apresentasse, falando do motivo de estarem ali. Esta parte foi muito importante e já podia-se perceber várias sincronicidades unindo aquele grupo e revelando a dinâmica que se desenrolaria. Durante aquele momento Rubia compartilhou um sonho e sincronicidades que vivenciou nos dias que antecederam a vivência. No sonho ela tecia com uma linha alaranjada e nos dias seguintes, por quatro vezes, uma borboleta alaranjada apareceu para ela. Aquela borboleta funcionou exatamente como um fio unindo várias vivências dos que estavam ali, inclusive eu. Contarei sobre isto mais adiante.

Outro tema que surgiu durante a apresentação foi a do adulto medroso, que é quem oprime a expressão livre da criança destemida. Magui disse que havia sentido aquela energia de maneira intensa naqueles dias. Observou também a presença do Urso Negro que vem do Oeste! Mais uma vez o urso se apresentou como uma chave para a cura da criança ferida e do adulto medroso, que são as duas faces da mesma moeda! O enredo de minha visão estava plasmado ali!

Logo depois das apresentações Rubia nos pediu para olharmos para a Mandala do Pero. Em seguida todos nos deitamos em colchonetes e ao som do tambor xamânico, tocado por Rubia eMagui, iniciamos uma jornada naquela Mandala, deixando vir à consciência o mundo da imaginação. Ao final da jornada foi colocada uma música suave, uma versão da Ave Maria, enquanto retornávamos da vivência interior. Rubia nos entregou então pinturas da Mandala do Perdão e da Borboleta Laranja, com as quais trabalharíamos durante todo o workshop. Magui sentiu a intensidade do exercício e pediu que fossemos todos dormir, reservando o dia seguinte para compartilharmos as vivências da jornada e os sonhos que ocorressem durante aquela noite. Antes de nos recolhermos realizamos um exercício de Ho’ oponopono, repetindo várias vezes: “Me perdoe. Sinto muito. Te amo. Sou grato.” E também: "Niño (criança), por favor, peça a Divindade para limpar em nós, as memórias equivocadas, que ainda impedem a manifestação plena do Amor, e transmutar em pura Luz".

Abro um parêntese para falar um pouco sobre o Ho’oponopono, uma antiga prática havaina de cura que tem como princípio assumirmos 100% de responsabilidade por tudo o que se manifesta em nossa realidade. Eu sabia pouco sobre o Ho’oponopono, mas compreendi que nele está embutida uma consciência holográfica, ou seja, o todo está em nós e, portanto somos responsáveis por tudo ao nosso redor. Se pudermos curar em nós, o que em nós contribui para o desequilíbrio no mundo ajudamos a curar o mundo. Esta é a mesma consciência contida no conceito da Malha dos Relacionamentos (Terceira Malha), com a qual trabalhamos na EMF. Existe entre nossa individualidade e tudo o mais uma Malha de Relacionamentos, ou seja, estamos energeticamente relacionados a tudo o que existe e, portanto, se pudermos equilibrar malhas de relacionamentos específicas, transformando cargas inapropriadas e gerando vibrações que contribuem para o equilíbrio e a evolução da totalidade, todos as outras malhas também serão afetadas! É uma maneira de trabalhar com a consciência da unidade e da totalidade! São ferramentas impressionantes que nos abrem para possibilidades infinitas! Percebendo do que se tratava, durante toda a vivência expressei a intenção de trabalhar com a Terceira Malha daquele grupo e de toda a humanidade, para que o equilíbrio que ocorresse ali afetasse o todo.

No dia seguinte, após um delicioso café da manhã, voltamos à sala. Aquele seria o momento do compartilhar, do tecer das experiências, de trabalhar a Terceira Malha daquele grupo e... além. Rubia pediu que pegássemos nossas Mandalas do Perdão e também miçangas, lantejoulas, linhas, agulhas, para que pudéssemos bordar sobre a Mandala enquanto compartilhávamos. Foi uma experiência fantástica, pois enquanto bordávamos, a malha dos relacionamentos e das experiências ia também sendo trabalhada. Foram momentos de intenso compartilhar em um ambiente seguro e sagrado onde as vivências mais amorosas e as dores mais profundas podiam vir à tona para que fossem integradas e transformadas. Os insights foram muitos.

Durante o dia realizamos Ho’oponopono para os elementos água, terra e fogo. O arfoi trabalhado no dia seguinte. Durante o trabalho para a água fomos todos para a piscina e colocamos os pés na água enquanto verbalizávamos as intenções do Ho’oponopono. Foi logo após este trabalho que vi no jardim um anjinho igual ao que eu havia comprado uma semana atrás em Maceió! Mais uma brincadeira da Criança Interior!

À noite trabalhamos o elemento Terra entrando na Oca, que também simboliza o útero. Houve belos cantos xamânicos durante a vivência. Logo depois trabalhamos o fogo em volta da fogueira. Aquela foi outra experiência intensa enquanto dançávamos e cantávamos ao som do tambor. Oferecemos tabaco à mãe Terra em agradecimento a todas as bênçãos recebidas. Curiosamente a fogueira caiu para a direção oeste da roda de cura, sinalizando mais uma vez a presença do Urso Negro para que a introspecção e a cura pudessem acontecer! A Magui disse que a energia estava tão intensa que ela cantou e dançou em torno da fogueira como há muito não fazia. Após a fogueira fomos jantar para depois dormirmos.

No dia seguinte trabalhamos o elemento ar em meio ao labirinto. Mais uma vez fizemos o Ho’oponopono uns com os outros. Foi muito emocionante. Logo depois voltamos à sala de vivências para finalizarmos o seminário do Amor e do perdão.  Foi um momento muito bonito, de muita inspiração. Muitos compartilharam sua gratidão, outros cantaram, inclusive cantoras profissionais que estavam presentes, alguns recitaram belas poesias como as de Kalil Gibran e Rumi e houve até uma performance de uma excelente atriz que estava presente, mostrando uma idosa, a Julia, voltando a ser criança! O clima era realmente de celebração e gratidão pelas bênçãos vivenciadas. As crianças interiores estavam se divertindo!

Magui e Rubia sentiram que aquele evento foi algo especial, uma abertura para um novo ciclo que tem a ver com expansão e reestruturação para uma nova energia. A Criança Interior saudável, cuidada com amor e destemida é uma chave para este próximo passo!

Voltamos do evento renovados e também agradecidos ao universo por tantas bênçãos. No dia seguinte o fio interdimensional da sincronicidade continuou atuando. Eu e Lucimara somos os organizadores de mais um evento da EMF Balancing Technique que será realizado em São Paulo do dia 10 a 15 de outubro, em plena época do dia das crianças. O evento desta vez será o primeiro curso Lattice Logic for Children (A Lógica da Malha para Crianças), realizado no Brasil!

Trata-se de um curso para facilitadores de um programa que inclui uma apresentação lúdica, para as crianças, da compreensão de que somos todos energia e de que há uma malha energética pessoal e coletiva com a qual podemos trabalhar para manifestar nossos potenciais e nossa vida mais iluminada. Parte da didática do curso é uma história de Peggy Ann, através da qual as crianças entrarão em contato com esta realidade. Imaginem as possibilidades que se abrem para as crianças quando oferecemos esta compreensão!

Pois bem, naquele dia comecei a traduzir o material para o curso e tive uma surpresa quando observei a ilustração de “A Grande Jornada de Peggy Ann”. Lá estava a Borboleta Laranja! Como no sonho da Rubia a Borboleta Laranja atua como um fio, tecendo a malha das sincronicidades e dos significados relacionados à Criança Interior!

Como se não bastasse esta impressionante sincronicidade, o espírito continuou juntando as peças. Em meu trabalho com a EMF, com as sincronicidades e os sonhos tenho percebido vários significados alquímicos, tanto assim que escrevo uma série de textos chamados EMF e Alquimia. Recentemente encontrei alguns símbolos de meus sonhos em um tratado alquímico do século XVI chamado Splendor Solis, considerado uma das mais belas obras de arte desta ciência do espírito. Seu autor é Solomon Trismosin, mestre do famoso alquimista Paracelsus. Naquele dia revendo alguns dos emblemas, olhe o que encontrei:

Crianças brincando em uma sala e sendo cuidadas por duas mulheres! Na moldura, no lado inferior direito, adivinhem quem está lá? Ela, a Borboleta Laranja!

Vejam o significado que o autor atribui a esta imagem:

“As expressões ‘trabalho de mulheres’ e ‘brincadeira de crianças’, quase sempre citadas juntas descrevem uma fase avançada do Opus (obra alquímica). Segundo Salomon Trismosin, esta ilustração das crianças brincando é também uma parábola da fixação do mercúrio pelo enxofre, pois como ocorre na brincadeira de crianças, “o que estava em cima (mercúrio) passa a estar embaixo””.

No simbolismo alquímico o mercúrio representa o espírito e o enxofre a matéria (corpo), ou então o Rei e a Rainha. O trabalho do alquimista é, através de um laborioso processo, purificar estas substâncias e uni-las em uma conjunção inseparável (fixação). Este estado de integração é chamado de Casamento Alquímico ou a Pedra Filosofal, a meta da Grande Obra!

Incrível que a integração do espírito na matéria, na alquimia, esteja associado ao “trabalho de mulheres” e às “crianças que brincam”! As verdades do espírito são universais e atemporais.

Uma versão atual desta verdade tem sido trazida por Kryon em suas mensagens mais recentes a respeito das mudanças que estamos vivendo. Em meu processo evolucionário as informações de Kryon sempre se encaixam de uma maneira sincronística, perfeita, revelando mais significados e adicionando beleza às sinfonia interdimensional.

Nestas mensagens de Kryon, as informações sobre a Criança Interior, as ferramentas do espírito, a EMF e a alquimia se integram em uma síntese que nos convida a assumirmos e a fixarmos nossa natureza quântica, abrindo as portas para nossos potenciais, para a criatividade e a imaginação!

Me permito agora fazer um “trabalho de mulheres”, unindo retalhos e tecendo um todo coerente. Abaixo estão trechos de mensagens de Kryon que se complementam e se aprofundam, revelando várias nuances. Após as mensagens farei alguns comentários, arrematando mais esta malha de consciência que compartilho com você.

A primeira mensagem de Kryon não é nova, mas fala da Criança Interior com mestria. Nesta mensagem Kryon usa a metáfora do balde, para falar de três energias que compõe o ser humano: o Adulto, a Criança e o Ser Superior. O adulto é o balde, a estrutura; a criança é a água fluida e flexível; o Ser Superior é a mão que carrega o balde com a água em seu interior. Feita esta introdução este trecho da mensagem ficará mais claro:

“A Criança Interior

Chegou a vez da última parte da trilogia. Vamos atribuir-lhe seis faculdades, embora esta não seja a mais importante; todas são importantes e devem estar equilibradas, inclusive, entre si. A Criança, no entanto, é o atributo menos compreendido. Não é fisicamente; não estamos aqui falando das crianças; estamos falando da energia da Criança, no Ser Humano, um dos itens da Trilogia interna, correspondente ao Filho. É
disso que estamos falando.
Gostaria de dizer onde reside a parte do poder mais incrível da sua vida. Muitos nunca atribuíram algumas destas faculdades à energia da Criança. A água que está no balde pode ir a qualquer lado; quer sair, não é mesmo? Mas, se o balde estiver amassado, a água escorrerá e acabará por perder-se completamente. Deve ser, portanto, estruturada e rodeada por um sólido.
No entanto, é a Criança fluida que tem a imaginação. O Adulto está estruturado e detém a autoridade, mas é a Criança que tem a imaginação. O Anjo, enquanto parte do Ser Superior, tem a Centelha, tem a sua própria tarefa e tem os milagres; não tem a imaginação da Criança. Essa é a parte que pertence a vocês, Seres Humanos.
Vocês fazem parte do equilíbrio entre o Pai, o Filho e o Espírito, todos os quais são Deus — isso que vocês são.
Imaginação! Tudo é possível para a Criança, dentro de vocês. Então, quando a Estrutura do balde diz: “Você precisa ficar aí dentro”, a imaginação da Criança responde: “Mas eu não quero! Não quero!”
A Criança em vocês é a responsável pela alegria. Pensavam que a alegria procedia do Anjo? Deixem-me dizer-lhes que estes dois pólos da Trilogia (Ser Superior e Criança) estão entrelaçados, mas é a Criança interior que tem que dar a intenção para haver alegria. Então, o Ser Superior (natureza divina) entra rapidamente para completar o processo. É a sua Criança interior quem pede alegria, que quer rir. Tudo isto faz parte do jogo!
Queridos Trabalhadores da Luz: se andam por aí com cara de poucos amigos, não conhecem este atributo. Se querem conhecer o catalisador para a Divindade, deixem-me que lhes diga um segredo: se querem ativar alguma das partes da Trilogia... ativem a Criança! Tratem de conhecê-la, porque é ela que tem a alegria e guarda o humor. É a Criança em vocês que faz com que o Farol de Luz sorria... E há muitos Faróis de Luz sérios! [Risos]
Emocionamo-nos com o potencial dos que aqui estão, neste momento, estes membros da Família que podem partir do planeta totalmente diferentes do que eram quando chegaram. Choramos de alegria.
Depois da imaginação e da alegria, aqui vai o terceiro atributo: suspensão da crença.
A Criança não tem um sistema de crenças. A fantasia anda à solta. Tudo é possível, possibilidades ilimitadas, ir a qualquer parte, fazer seja o que for. Este é o catalisador para o milagre. É a Criança interior, desestruturada e inocente, perguntando: “Por que não?”
Quando falam de cura e de se livrar do que está envelhecendo em seu corpo, é a Criança interior perguntando: “Claro, por que não?” O Adulto, o balde, fala: “Você diz isso porque não sabe como as coisas funcionam!” Ora, é o equilíbrio entre estes dois (Adulto e Criança) que permite que aquele “Por que não?” da Criança surja e crie o estado de espírito que só as chispas do Ser Superior podem proporcionar.
O quarto atributo é: dependência.
A Criança não seria nada sem o balde e a sua Estrutura. Passaria a vida a correr de um lado para o outro, incoerentemente. Não haveria nada dentro do balde; a Substância simplesmente partiria, acabaria por se evaporar e nada haveria. O Adulto está ali para contê-la, em amor e perfeição. E a Criança estende-lhe as mãos alegremente, porque sabe que ali encontra a Estrutura e a segurança; sabe que dali vem o amor e o cuidado interno. No equilíbrio entre Criança e Adulto, ambos chamam um pelo outro. Sabiam? O amor não ocorre com ambos a discutir; não ocorre quando o Adulto diz à Criança: “Fique calada, pois você não sabe nada das coisas sérias!” O balde não rege a Substância... cuida dela! O Adulto incorpora a Criança, a abraça e a alimenta. A Criança aceita o Adulto e diz: “Preciso desta Estrutura.” É um matrimônio para toda a vida.
Ora, quantos de vocês casaram, de fato, com a Criança?
Agora, chegou a vez de dois atributos surpreendentes: a intuição e a sabedoria.
Alguma vez passou por sua cabeça que estes fossem atributos da Criança? Acaso não deveriam ser do Adulto? Não. O Adulto é a Estrutura, mas a sabedoria provém da Criança flexível... porque é a Criança que tem as emoções! É a Criança que permite que as emoções passem a fazer parte de vocês mesmos e estejam presentes na compaixão, de que já falamos — esse gatilho interdimensional que desencadeia milagres.
É a Criança em vocês que desenvolve as emoções do contentamento, que, depois, se convertem em compaixão.
Talvez não tenham pensado assim, quando estavam soterrados em problemas. Talvez não lhes tenha ocorrido, quando as coisas se puseram realmente sérias, quando precisaram de ajuda, quando não sabiam o que fazer. Talvez, nessas circunstâncias, não tenham considerado a Criança interior, talvez não se tenham sentido cheios de vida... Claro que não!
Mas é por causa disso mesmo que estamos aqui esta noite, para recordarem que essa parte — a Criança — está aqui e é o catalisador da Centelha. O caminho mais rápido para o Ser Superior é através da Criança. Já lhes dissemos inúmeras vezes que tentem isto e celebrem o desafio. Para quê? Para que se elevem até à alegria que só a Criança pode proporcionar, para começarem a se comunicar com a Centelha!
Adultos, vocês estão proporcionando a Estrutura e o amor para uma energia da Substância (a Criança), que é o catalisador para a ativação do Ser Superior. Adulto e Criança se casam, estão juntos e têm que estar equilibrados.
Alguma vez lhes ocorreu que viriam a saber que a sabedoria vinha da energia da Criança? Pois é verdade.
E, assim, enquanto o Adulto tem a energia do despertar, como descrevemos, a Criança tem a Substância para fazer algo nesse sentido.
Isto explica a razão por que muitos dos Trabalhadores da Luz mais sérios têm tão pouco para mostrar em função dos seus esforços. Com freqüência fazem-se de vítimas, já que pouco se manifesta nas suas vidas. Convertem-se em “órfãos” de Deus e carregam um enorme drama espiritual. Também a esses celebramos, mas desejamos que encontrem o contentamento que merecem. Desejamos que descubram o próximo item.
E o sexto atributo, qual é? Soará estranhamente como alguns dos outros, mas a verdade é que, para a Criança interior, não há barreiras.
Tudo é possível! Mais do que a suspensão da crença, a Criança não vê nada que a limite quando olha para além da paisagem da sua mente. Nunca houve outro catalisador espiritual que não fosse este, porque é o responsável pela sua capacidade de visualizar um tempo, um lugar e uma energia que mudará a sua realidade.
Tudo está relacionado. Querem saber como obter a Centelha, meus queridos Humanos? Desejam saber como podem mudar a sua realidade? Pois então recorram à Criança fluída, flexível e sem barreiras.
Querem saber qual a energia que pode visualizar o tempo em que eram jovens? Pois acabo de dizer qual é! Esta energia também é o segredo para mudar a atual realidade do seu relógio biológico! O corpo se move para frente, sem ajuda; é um motor imaculado que lhes levará através da vida, respeitando um modelo...
que é antigo. A energia da Criança ativa a intenção e o poder de alterar essa situação! Quando a água ferve, a mão que sustenta o balde tem que reagir, não pode deixá-lo cair, tem que o acompanhar.
Sem barreiras significa: tudo é possível!
Meus caros, permitam-me um exercício: imaginem que, neste momento, têm uma doença, um distúrbio no corpo ou um problema na estrutura celular. Peço que tomem essa Criança sem barreiras e visualizem um tempo da sua vida em que nenhum desses problemas se tinha desencadeado. Quero que vejam a sua estrutura celular quando era fresca, perfeita e jovem. Quero que sustentem essa visualização sem barreiras, porque o catalisador da Criança está trabalhando durante este tempo, ligando-se com a energia do Ser Superior. Está dando início ao processo.
Eu disse que lhes contaria como a coisa funcionava. Pois é assim. A alegria e a imaginação da Criança desencadeiam o processo para que, a seguir, surja a Centelha para ativar a cura.
Assim é, porque o que vocês visualizarem, podem ter. Quanto mais forte for a visualização, mais forte será a sabedoria do sistema de crenças que visualizam, dentro da própria estrutura celular. E sentirão e possuirão o resultado. Muito rapidamente, as células se reconverterão realmente, retirando tudo o que está a mais, através da recordação do tempo em que tinham a estrutura original e, claro, despertando, inclusive, as células-mãe.
Isto é a cura; isto é o milagre. Ocorre diariamente com os Faróis de Luz.
Há Faróis de Luz, aqui. Há Trabalhadores da Luz, aqui. Há aqui curadores que praticam isto diariamente e ajudam outros a permanecer na Terra. Os curadores não curam; os curadores equilibram! Vocês sabem.
Porque, quando equilibram outro Ser Humano, de certa forma, o corpo responde. Este equilíbrio ajuda o outro a acessar a alegria da Criança interior, através da remoção de todas as barreiras e da suspensão da estrutura quadridimensional.
Aqui acaba o ensinamento, por hoje. Não é o fim da energia, mas, por agora, é o fim do ensinamento.
Quantos de vocês gostariam de ir lá, a esse balde, e visitar a Substância da Criança? Quantos quereriam olhar para as suas vidas e dizer: “Não há barreiras!” Quantos adorariam se livrar das suas crenças? Bom, então eu digo: recorram à Criança que ativará o Ser Superior em vocês, o Anjo em vocês..., e os milagres começarão. É aqui que, realmente, começa a se produzir o equilíbrio.
Queridos membros desta Família, o mais difícil para nós é deixá-los. Não podemos fazê-lo até estarmos seguros de que entenderam claramente o que foi dito. Os avatares do planeta não têm segredos milagrosos que vocês também não tenham. Querem saber qual é o atributo de um avatar? É a energia da Criança completamente desenvolvida e equilibrada. É aí que está a Substância, porque essa é a via rápida para o Ser Superior.
É a suspensão das crenças.
Podem criar energia com as mãos? Podem alterar a física? Podem manipular o tempo? Sim, podem fazê-lo.
Cada um dos que estão aqui sentados. Olhem para os rostos dos avatares passados e atuais do planeta. Reparem, primeiro, no sorriso deles, no humor e na alegria. Depois, reparem nos milagres!”

(trecho da canalização de Kryon “O Catalisador de Milagres” – dada em Chicago Ilinóis em setembro de 2000. 

 

Acho que não são necessários comentários... No entanto gostaria apenas de lembrar da semelhança com a visão que tive. Nela o Anjo só se manifesta depois que a Criança é abraçada, amada e curada! A criança é a ponte entre o humano e o angelical! Verdades universais!

Agora as canalizações mais recentes de Kryon:

O Re-despertar da Criança Interior

“Vamos falar sobre o sistema da nova energia que está no planeta. Há na verdade vários, mas aquele sobre o qual eu quero falar tem sua originadora presente aqui mesmo nesta cidade. Aquela a quem vocês chamam Peggy, a professora, descobriu um processo que é energia pura (EMF Balancing Technique). A EMF é a caixa de ferramentas que converterá esta energia em intenções para ativar o DNA da maneira que eu acabei de lhes descrever. É o catalisador para empurrar o DNA para além dos 30% de ativação. Percebem como isto começa a se encaixar? Este aumento na eficiência do DNA não vai acontecer por conta própria. É complexo e requer intenção, causando uma mudança vibracional. Oh, há muito mais!”

“Haverá o potencial para um re-despertar de uma energia muito importante, e tudo isto faz parte da mudança. Vocês precisam ouvir isto: Muitas coisas foram ditas sobre esta energia que tem estado dormente. Muitas pessoas trabalharam com ela, mas operando a uma capacidade de apenas 30% de seu potencial o corpo humano não pode desenvolvê-la. Entretanto, um corpo atuando com 60% de sua capacidade pode. Já ouviram falar sobre a Criança Interior? Não é possível realmente definir esta energia, mas deixem-me transmitir-lhes o sentimento dela.”

“É uma questão quântica e sempre foi! Por que a criança interior é tão importante? Vocês ouviram sobre isto por anos, no entanto, muitos fugiram do tema. “Eu não quero ser criança,” alguns dizem. “Eu cresci e não preciso entrar em contato com isto. Vou pular esta parte.” Talvez isto seja muito diferente do que pensa.
Deixem-me lhes dizer o que é tão quântico a este respeito. Agora ouçam e abram seus corações por um instante. Já era tempo, não é? Nenhum de vocês é mais criança, mas todos já foram. Então por que não fazem algo comigo por um instante? Suspendam o relógio e imaginem que tudo o que já fizeram neste planeta, nesta vida, está à sua frente agora. Como fotos que você pode pegar, elas estão lá. Elas não estão no passado, mas ao contrário estão em um estado quântico, prontas para que vocês as vejam acontecendo agora.
Reflitam: Eu quero que vocês dêem uma olhada naquelas fotos – quando vocês tinham oito, sete, seis, cinco anos de idade. Olhem! Vocês não tinham nenhuma preocupação. Quantos de vocês, quando tinham oito anos, estavam preocupados com o pagamento da hipoteca? E o orçamento para a comida, ou se poderiam ter um carro ou mesmo fazê-lo funcionar ou não? A resposta? Nenhum de vocês! Suas maiores preocupações eram até quando poderiam ficar brincando. Pensem sobre isto… a maioria de vocês era assim. Esta é a mente da criança… pura, descomplicada, e fora do escopo da preocupação.
Agora eu gostaria que você sustentasse estes pensamentos por um instante. Quero que imagine-se pegando aquela persona por um instante, aquela criança que é você. Ela tem o seu nome e você a viveu. Pegue aquela foto e coloque sobre você. A criança não pensa sobre o amanhã a menos que amanhã seja o natal. Então o sentimento é de alegria e empolgação. Há quanto tempo você sentiu isto, ser humano?
Por que eu falo sobre isto? Por que o amor de Deus te convida para este mesmo atributo! Você tem apenas um modelo, e é uma criança. Então traga-a de volta como o modelo de como te amamos e de como oferecemos o amor e a paz que você precisa para se mover para a nova energia! Aquele que pode voltar e aplicar estes atributos sobre sua vida é o Ser Humano Quântico. É possível saber quem é ele, pois por onde anda há um brilho! Ele não está em negação. Ele é quântico.
Houve inúmeros mestres e mestras que caminharam sobre este planeta e foram conhecidos por vocês em muitas religiões. Quero lhes dizer o que todos eles tinham em comum: Eram quânticos! Quando você olha para as faces deles, pode perceber o brilho? Venha comigo. Você pode estar na presença de seu mestre favorito por um momento? Qual a energia que sente? É a paz, não é? Ele ou ela está preocupado com a hipoteca? Está preocupado em pagar as contas? Qual drama ele tem em sua vida? Ele poderia ter muitos, mas você nunca os veria! Você é atraído para aquela paz, não é? Apenas quer ficar ao lado dele ou dela. Você poderia até mesmo dizer: “Oh, se eu pudesse ser como ele. Eu adoraria isto.” Bem, você pode, meu querido, e a isto se chama capturar a essência da Criança Interior. Não é inocência; não é ignorância; é uma completa e total sabedoria quântica. É a habilidade de pegar aquelas coisas que em sua linearidade podem lhe preocupar e suspendê-las em um lugar onde elas não lhe afetarão. O que acontece com uma consciência que não é afetada pelo medo? Eu direi: Ela plana! Você esperava por isto? O trabalho com a criança interior é um trabalho quântico. Todas as coisas que temos ensinado nos últimos meses estão pedindo ao ser humano para se tornar quântico.”

(Trechos de canalizações de Kryon realizadas em “Moscou – 23 de maio de 2009 – “Atributos da Mudança”” e “Sedona – 13 de junho de 2009 – “Tornando-se Quântico””)

Estas mensagens também falam por si mesmas, mas gostaria de chamar a atenção para a ressonância com o processo alquímico.  Destaco a frase de Kryon:

“Percebem como isto começa a se encaixar? Este aumento na eficiência do DNA não vai acontecer por conta própria. É complexo e requer intenção, causando uma mudança vibracional. Oh, há muito mais!”

Na alquimia há todo um processo complexo para se purificar os elementos e assim possibilitar a fixação do mercúrio (espírito) pelo enxofre (corpo). Da mesma forma a ativação e desenvolvimento da Criança Interior requer intenção e uma ativação do DNA para que ela habite definitivamente em nós, em nossa alma, em nosso corpo.

Para facilitar este processo é que estão aí as ferramentas do espírito. Em minha vida tem sido a criança que me aponta todas as ferramentas com as quais trabalho hoje, para que eu possa construir uma casa segura para ela habitar, brincar, sonhar e criar, sem medo.

Curiosamente estou terminando este texto, hoje, dia 09/09/2009 um dia 11 em um ano 11. A energia da mestria e também a energia de Kryon está presente em dose dupla!

Fico imaginando o que poderemos criar quando cada um manifestar mais de quem é, desenvolver seus dons, sua mestria, sua criatividade e realizar aquilo que está em sua alma.

Que o poeta seja um exemplo para nós daquele que realizou seu don, o trabalho de sua alma, nestas belíssimas palavras:

 

E a criança tão humana que é divina
É esta minha quotidiana vida de poeta,
E é porque ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre,
E que o meu mínimo olhar
Me enche de sensação,
E o mais pequeno som, seja do que for,
Parece falar comigo.

A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E a outra a tudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é o de saber por toda a parte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.

 




     gustavo3388@gmail.com        85 81018833


© 2014 O Farol. Todos os direitos reservados